top of page

Volta a chover forte em Petrópolis e Defesa Civil aciona sirenes; 113 mortes foram confirmadas


A cidade de Petrópolis, na região serrana do Rio, voltou a ser castigada pela chuva na tarde desta quinta-feira (17). De acordo com a Defesa Civil, várias ruas voltaram a ficar alagadas. Foram registrados 60,5 mm de chuva em apenas uma hora. Na terça (15), dia do primeiro temporal que devastou a cidade e deixou ao menos 113 mortos, foram registrados 260 mm de chuva em seis horas.


A Defesa Civil emitiu um aviso chamando atenção para a possibilidade de pancadas de chuvas moderadas a fortes entre a tarde de hoje (17) e a madrugada de amanhã (18). Nas últimas horas, 14 das 18 sirenes instaladas próximas a áreas de risco da cidade foram acionadas.


A orientação é que os moradores de áreas de risco, que não tenham a opção de acolhimento em área segura, se desloquem para os pontos de apoio que funcionam na região.


A previsão é que a chuva siga com intensidade moderada a forte pelas próximas horas.

m novo deslizamento, desta vez na comunidade 24 de Maio, gerou um alerta da Defesa Civil municipal. Após a ocorrência, o órgão viabilizou a evacuação da Rua Nova.


Imagens fortes e impressionantes circularam nas redes sociais. Segundo o governo do Rio de Janeiro, foi a pior chuva na cidade desde 1932. A região serrana do estado, onde se localiza Petrópolis, viveu outras tragédias nas últimas décadas. Em 1988 e em 2011, temporais também causaram um grande número de mortes.


Diante do alto volume de óbitos, o município abriu covas às pressas no Cemitério do Centro. Em respeito à programação dos familiares, foi descartada a realização de enterros coletivos. Conforme cronograma divulgado, entre ontem (16) e hoje (17) aconteceram 18 sepultamentos, incluindo cinco crianças e adolescentes.


Informações / Metro 1


Comentarios


vertical (1).png
Publicidade
vertical.png
bottom of page