top of page

Maracás: moradores da sede e zona rural reclamam da falta de água; Secretária de Agricultura explica


O Jornal da Cidade recebeu algumas reclamações referente ao abastecimento de água, por parte da gestão municipal, na sede e zona rural. Separamos dois prints, que relatam o problema.


Nas mensagens, moradores do Bairro Beija-flor (sede do município) e Caldeirão dos Mirandas (zona rural), descrevem a situação.


A nossa redação entrou em contato com a Secretária de Agricultura Queli Gonçalves, buscando esclarecer a situação e a veracidade dos fatos.


Queli nos informou que lamenta pelos transtornos, afirmou que realmente existe uma demanda grande de pedidos e, que há sim, um atraso no atendimento. A Secretária atribuiu o fato ao atraso na contratação dos carros que dão suporte na entrega da água. Disse ainda que o problema já está sendo resolvido e que até sexta-feira os carros contratados devem ser liberados. A Secretária informou também que o município enfrenta 5 meses de estiagem e que esse é um período crítico. E salientou que é preciso conscientizar a população quanto ao uso correto da água, para evitar desperdícios.


Ainda segundo a responsável pela pasta da Agricultura, na sede, a empresa EMBASA tem deixado a desejar e isso acaba afetando ainda mais a situação da população. Quanto a zona rural, Queli contou que o município conta com o apoio do Exército, mas, são 126 comunidades a serem atendidas e por conta do atraso nas contratações muitas famílias ainda não foram atendidas. Quanto às acusações de motivação política na falta de atendimento dos pedidos, a secretária refuta qualquer envolvimento partidário e diz que a informação não procede.






Redação: Jornal da Cidade


Comments


vertical (1).png
Publicidade
vertical.png
bottom of page