Morte de João Alberto em Porto Alegre provoca protestos pelo país contra o racismo

21.11.2020

 

   O assassinato de um homem negro por agentes de segurança provocou protestos por todo o Brasil. Na noite de quinta-feira (19), João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi espancado até a morte numa filial da rede de supermercados Carrefour em Porto Alegre. 

 

  A manifestação no Rio foi pacífica e exigiu o encerramento das atividades do supermercado na Barra da Tijuca, na Zona Oeste. A gerência concordou e fechou o estabelecimento após uma conversa com os manifestantes.

 

  Já em São Paulo, também após um início pacífico, manifestantes começaram a atirar objetos e a destruir vidraças da fachada da loja na Rua Pamplona, uma das áreas mais nobres da cidade. Em seguida,  invadiram o local, quebraram produtos e chegaram a atear fogo no interior do supermercado. 

 

  Houve tensão também em Belo Horizonte. Um grupo de manifestantes protestou desde o início da tarde, no centro da cidade.

 

  Um grupo de pessoas também protestou em frente à loja onde aconteceu o crime, em Porto Alegre. Depois de duas horas de ato pacífico, alguns jovens conseguiram derrubar o portão de acesso ao estacionamento do Carrefour, quebraram janelas de vidro e tiveram acesso ao primeiro andar do estabelecimento.

 

Informações/Metro1

Please reload

© 2020 Todos os Direitos Reservados

 Por Josi Machado e Allan Lago