top of page

Jequié: Professores voltam a contestar suspensão da regência e cobram providências

A mudança de comando na Prefeitura de Jequié parece não ter trazido ainda a solução para um dos problemas enfrentados pelos professores da rede pública municipal. Na noite desta terça-feira (29), os docentes esbarram em frente ao prédio-sede da Câmara de Vereadores, na Rua 2 de Julho, realizando ato de protesto pela volta da Regência/Gratificação, cortada em 2019 através de decreto pelo prefeito afastado Sérgio da Gameleira (PSB).

Os professores cobram dos parlamentares apoio para convencer o prefeito interino de Jequié, Hassan Iossef (Podemos), que assumiu a gestão após o afastamento de Sérgio, a promover a revogação de decreto de Gameleira. O corte acabou achatando os proventos da categoria, que não se cansa de fazer manifestações com palavras de ordem, pedindo a valorização da classe educacional.

Eles alegam que o Decreto Municipal 20.091 que determinou a suspensão da gratificação para regência de classe é ilegal. Contudo, o gestor da época disse ser plenamente legal e que decorre de um Processo Administrativo iniciado em setembro do ano passado, com o conhecimento da APLB, que tem apoiado os docentes nas manifestações.

Após a sessão ordinária desta terça, o presidente da Câmara, Emanuel Campos (PV) recebeu os manifestantes, tendo afirmado que a decisão do corte da Regência não passou pela Casa, mas que o Legislativo aberto ao diálogo e à busca de soluções para o problema apontado.

Informações/Blog Marcos Frahm

vertical (1).png
Publicidade
vertical.png
bottom of page