Pássaros silvestres são resgatados em situação de maus-tratos na BR-116, em Jequié


A Polícia Rodoviária Federal (PRF) resgatou 49 pássaros na BR-116, em Jequié, na tarde deste sábado (18), no Km 677 da rodovia. As aves silvestres da espécie trinca-ferro estavam escondidas dentro de duas gaiolas no porta-malas de um Pálio EX.

Durante a abordagem foram solicitados os documentos do condutor e dos passageiros. Em seguida, os agentes realizaram os procedimentos de fiscalização e após uma revista minuciosa no veículo foram encontradas os animais aprisionados em apenas duas gaiolas, ensejando total falta de cuidados e maus tratos, em ambiente escuro e sem ventilação.

Dada às circunstâncias e após entrevista aos ocupantes do automóvel, o passageiro de 41 anos assumiu a responsabilidade pelo tráfico dos animais e disse não possuir autorização do órgão ambiental para criação e nem a guia de transporte.

Informou ainda que os animais foram adquiridos na cidade de Volta Redonda (RJ). Por fim, afirmou que pretendia comercializar as aves em Feira de Santana (BA). Cada exemplar seria vendido por 80 reais.

Em seguida, foi lavrado o Termo Circunstanciado de Ocorrência e o infrator que é natural de Resende (RJ) responderá na Justiça por crime contra o meio ambiente da Lei 9.605/98, com os agravantes previsto na normativa.

Os pássaros foram encaminhados aos cuidados da Secretaria do Meio Ambiente local, onde serão triados, alimentados e tratados por profissionais. Passarão por um processo de reabilitação para voltarem à liberdade.

O retorno ao habitat natural nem sempre é um processo rápido. Além de tratar a saúde, os animais precisam reaprender funções básicas como voar e caçar.

A PRF alerta que as denúncias nas rodovias podem ser realizadas através do telefone 191, que funciona em todo o Brasil. A ligação é gratuita e não é preciso se identificar. Vale ressaltar que é crime a caça predatória, o tráfico e a criação ilegal de animais silvestres.

Informações / Marcos Frahm

© 2020 Todos os Direitos Reservados

 Por Josi Machado e Allan Lago