Vitória vence o Jacobina fora de casa

28.01.2019

  Ao menos houve uma boa história para contar no clássico ‘jogo de Baianão’ entre Jacobina e Vitória. No combo estádio acanhado, gramado ruim e baixa qualidade das equipes, a redenção do zagueiro Edcarlos garantiu o diferencial no triunfo rubro-negro, por 2 a 1.

Primeiro, o experiente atleta de 33 anos protagonizou uma trapalhada ao marcar contra (mesmo que a culpa não tenha sido só dele), mas, depois, redimiu-se com os dois gols que decretaram o triunfo.

 

  O futebol do Leão seguiu sem brilho, mas o time pôde comemorar a manutenção dos 100% de aproveitamento desde que começou a colocar os jogadores principais em campo – duas partidas e duas vitórias. Assim, pulou para a segunda colocação do estadual, com os mesmos seis pontos do Bahia de Feira, que ganha no saldo de gols.

 

  Na quinta, a equipe volta a campo para receber o Jacuipense e, no domingo, faz o Ba-Vi inaugural do ano, na Fonte Nova, pelo Nordestão.

 

É de se preocupar

 

  A preocupação dos torcedores rubro-negros com o que lhes aguarda em 2019, após um 2018 já desastroso, só fez aumentar com o primeiro tempo no estádio José Rocha. Havia o sol forte, o gramado em condições precárias, o fato de a temporada estar apenas em seu início, mas, mesmo pesando tudo isso, não tinha como não ficar temoroso.

 

  O Vitória até dominou a bola no começo. Teve 70% de posse nos primeiros minutos, mas não conseguiu criar boas oportunidades, atrapalhado pela boa marcação do Jacobina, o gramado ruim e a incapacidade de sua própria linha de frente.

 

  E o time ainda teve o azar de ser vazado logo na investida inicial do Jegue da Chapada, aos 13 minutos. O goleiro João Paulo deu chutão para a frente, Edcarlos tentou cortar, mas mandou para trás. Aí, o arqueiro rubro-negro Ronaldo se atrapalhou com Ninho, do Jacobina, e a bola acabou morrendo no fundo da rede.

 

  Castigo pesado, e que indicava dificuldade ainda maior para o Leão, pois o adversário se fecharia numa retranca ainda maior. Só quando começou a arriscar mais de fora da área os visitantes conseguiram assustar. Aos 29, em um chutaço de muito longe, Léo Ceará exigiu grande defesa de João Paulo. Oito minutos depois, Wesley Dias tentou, mas pegou mascado e não levou muito perigo. Aos 41, foi a vez de Leandro Vilela testar o goleiro do Jacobina, aprovado.

 

  No entanto, no minuto seguinte ele nada pôde fazer. Primeiro, Andrigo cobrou escanteio e a sobra ficou com Thales, que teve seu chute desviado. A bola voltou ao córner e, após cobrança curta, Ruy cruzou para Edcarlos caprichar na cabeçada e se redimir do gol contra.

 

  Ainda houve tempo para Ruy soltar a canhota de longa distância e mais uma vez parar em João Paulo. No início do segundo tempo, porém, o jogo sofreu uma nova reviravolta, com o crescimento do Jacobina. Ainda no primeiro minuto, Ninho levou algum perigo em chute de fora. Tiaguinho tentou da mesma maneira aos quatro e aos sete minutos, em ambas arrancando suspiros dos presentes. Ele também exigiu ótima defesa de Ronaldo aos 17 e, três minutos antes, foi Jeam que tirou tinta da trave.

 

  Só que a blitz não deu resultado e o nome da partida voltou a aparecer para definir a virada do Leão. Aos 22, Andrigo levantou em cobrança de falta e Edcarlos usuou a cabeça artilheira para marcar seu terceiro gol na partida, o segundo a favor. Mais tranquilo, o Vitória ainda poderia ter ampliado a vantagem, mas João Gabriel trabalhou bem em chances de Léo Ceará e Ruy.

 

  Já nos acréscimos, o Jegue da Chapada por pouco não arrancou o empate. Em cobrança de falta da intermediária, Tiaguinho soltou um petardo que explodiu no travessão.

 

Fonte: A TARDE

 

Please reload