Bahia: Maracás é destaque em demissões, foram 230 em 2018; entenda


A economia baiana gerou no ano passado 28.621 novos empregos com carteira assinada, de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quarta-feira (23) pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. Durante o ano, foram 600.196 admissões contra 571.575 desligamentos.

O setor de serviços liderou a criação de vagas formais, com 20.505. Em seguida aparecem o comércio (1.983) e a indústria de transformação (1.869). A agropecuária foi o único setor da economia estadual com saldo negativo: -409 postos celetistas.

Entre os municípios, Salvador liderou a geração de vagas no ano passado, com um total de 6.033. Em seguida, aparecem Simões Filho (2.007), Dias D´Ávila (1.674), Feira de Santana (1.593) e Vitória da Conquista (1.522).

Itabuna, por sua vez, liderou as demissões, com o corte de 1.175 postos formais. Depois aparecem Itapetinga (-336), Maracás (-230) e Serra do Ramalho (-254).

Dezembro

Em linha com o país, a Bahia encerrou dezembro com o saldo negativo de empregos formais: -11.705. Mesmo assim foi o melhor resultado desde 2013, quando foram eliminados 10.237 postos de trabalho.

Informações / Jornal da Mídia

vertical (1).png
Publicidade
vertical.png