Jutaí e Juruá: as remotas cidades do Amazonas que quase não atraíram inscrições no Mais Médicos

10.12.2018

   Duas cidades do Amazonas não conseguiram preencher as vagas disponíveis do

Programa Mais Médicos: Jutaí e Juruá. Elas não são as únicas que ficam sem ocupação.

 

  Mas chamam atenção pela baixíssima adesão. Remotos, esses municípios têm mais de 75% da população em situação de vulnerabilidade à pobreza. No edital inicial lançado pelo Ministério da Saúde, as mesmas são listadas como cidades que vivem na extrema pobreza.

 

  Foram abertas seis vagas em Jutaí e três em Juruá. Em Jutaí, apenas um foi preenchida.

 

  Em Juruá, duas. As inscrições do Mais Médicos ficaram abertas entre 21 de novembro e 7 de dezembro. Foi aberto, na última semana, um novo edital para buscar adesão de profissionais estrangeiros.

 

  Das 107 vagas que ainda não foram ocupadas em todo país, 83,2% são de cidades amazonenses. O estado tem 89 vagas remanescentes que ainda não tiveram adesões de médicos.

 

  As cidades ficam situadas a mais de 600 quilômetros da capital amazonense, Manaus, em áreas da floresta Amazônica onde só é possível acesso via transporte aéreo ou fluvial. Ao longo dos anos, a rede hospitalar dessas cidades registrou diversos problemas.

 

  Há dois anos, por exemplo, um médico de Jutaí precisou improvisar uma máscara de oxigênio com garrafa de refrigerante, para tentar salvar a vida de uma bebê que nasceu prematura e com problema respiratório. Não havia incubadora no hospital, e a menina morreu.

 

Fonte: G1

 

 

Please reload