Viaduto cedeu em São Paulo


Motoristas que trafegavam pelo viaduto da Marginal Pinheiros, próximo à ponte do Jaguaré, que cedeu 2 metros na manhã desta quinta-feira (15), relatam que vicenciaram o que chamam de "cena de cinema". "Só senti o carro voar", disse o vigilante Renailton Alves.

No momento em que a via cedeu, por volta de 3h30, poucos motoristas trafegavam pelo viaduto e um deles teve escoriações leves. Cinco carros ficaram danificados. Alguns deles, que foram lançados na via no momento em que o asfalto se abriu, tiveram os airbags acionados.

"Passei na hora, por volta das 3h30. Eu só senti o carro voar e cair no chão. Aí eu já percebi que já tinha uns carros encostados no acostamento e aí o carro já não teve mais força para sair do espaço", disse Renailton.

Outro motorista relatou que os carros foram caindo um por um.

"A gente viu o buraco, na verdade, era um ponto cego. A gente passou e já caiu. Conforme caiu, o carro rodou e bateu na mureta", acrescentou Andrade, que teve escoriações no pescoço e no peito com a queda.

O local é rota de acesso à rodovia Castello Branco, e o incidente provoca congestionamento na região na manhã desta quinta, primeiro dia de feriado prolongado.

O secretário de transportes, João Otaviano, afirmou que uma das placas de apoio das juntas de dilatação, obrigatórias em estruturas elevadas, como pontes, viadutos e alças, cedeu. Otaviano disse que aguarda as equipes técnicas para fazer uma análise mais precisa do rebaixamento.

Segundo o secretário, não havia indícios de problemas no viaduto. "A estrutura estava funcionando normalmente. Seguramente, aconteceu alguma coisa fora do padrão, algum deslocamento. As equipes precisam entender e fazer a proteção da estrutura", completou. Otaviano garantiu que a Prefeitura de São Paulo faz avaliações em todas as obras viárias, mas ocorreu uma "situação particular" (Veja nota da Prefeitura abaixo)

Trânsito

O trânsito está sendo desviado para a pista local da Marginal Pinheiros. O primeiro ponto de desvio é na Ponte Cidade Jardim. Às 7h, as filas na pista expressa sentido Castello chegavam a 4 km, até a Ponte Eusébio Matoso. Na pista local, são 3 km de lentidão.

Com o tráfego todo desviado para a pista local, os motoristas não encontram um acesso direto para a Castello, que normalmente é feito pela pista expressa. Segundo a CET, é preciso continuar até a Marginal Tietê e fazer o retorno pela Ponte do Jaguaré, acessando a pista sentido Castello.

Uma das opções para evitar o trânsito é entrar na Avenida Professor Frederico Hermann, seguir na Avenida Professor Fonseca Rodrigues, passar por trás do Parque Villa Lobos e sair na Avenida Queiroz Filho.

Na região também funciona a linha 9 (Esmeralda), entre Grajaú e Osasco, na região metropolitana de São Paulo. Segundo a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), a linha não foi afetada.

O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil foram acionados para inspecionar o elevado. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) monitora o trânsito no local.

Fonte: G1

vertical (1).png
Publicidade
vertical.png