Criança de três anos morre eletrocutada ao encostar em cerca elétrica


O pequeno José Francisco Pereira Ferreira, de apenas três anos e meio, morreu eletrocutado na tarde desta sexta-feira (28) ao encostar na cerca elétrica que protegia a horta da chácara da sua família, em Caarapó, a 273 quilômetros de Campo Grande.

Segundo o tio-avô da criança, Manuel Batista, a produção da horta é utilizada para complementar a renda da família e a cerca elétrica era ligada somente à noite, para proteger a plantação do ataque de animais.

Entretanto, ele diz que nesta sexta-feira, o pai de José Francisco estava fazendo a manutenção da horta e deixou a cerca elétrica ligada durante à tarde. A criança estava dentro da horta brincando e tentou sair por entre os cabos. Ela estava descalça e o chão ainda estava molhado. Ao encostar nos fios acabou sendo eletrocutada.

Uma vizinha que passava pelo local, viu a criança caída no chão e tentou socorrê-la, mas acabou tomando um choque também. “Eu chamei ele e coloque a mão na cabeça dele para tentar pegá-lo, foi ai que levei um choque. Me deu um desespero. Comecei a gritar e fui correndo chamar a mãe e a avó, que vieram correndo”, relembra Iraci do Amaral.

A morte da criança nestas circunstâncias deixou a família abalada e comoveu toda a cidade. “É uma tragédia. Eu falo que esse pai e essa mãe estão penalizados para o resto da vida com uma situação desta”, diz o tio-avô de José Francisco.

O sepultamento da criança ocorreu na manhã deste sábado (29) e um grande número de pessoas acompanhou o velório e depois o enterro.

A Polícia Civil esteve no local onde a criança morreu e vai abrir uma investigação sobre o caso. O delegado Anézio Rosa de Andrade, diz que a cerca em que José Francisco foi eletrocutado não está dentro das normas de segurança.

“Uma cerca dessa tem de ter uma altura mínima de segurança e, além disso, deveria haver placas de sinalização, porque qualquer pessoa pode encostar e muitas vezes a pessoa não acredita que o choque causado por essa cerca pode provocar uma morte, como ocorreu com a criança”, explicou.

Fonte: G1

Farmácia Maracás.jpg
Publicidade
ORQ_1001288_Polo_EAD_Maracas_Banner_Blog