Ao renunciar ao Senado, Mujica dá outro exemplo ao mundo político


O ex-presidente do Uruguai José Mujica, de 83 anos, renunciou ao seu mandato de senador alegando motivos pessoais e "cansaço".

"Os motivos são pessoais, diria 'cansaço de longa viagem'", informa em comunicado. Mujica foi eleito para o Senado depois de ocupar a Presidência da República entre 2010 e o 2015.

A carta foi endereçada a sua mulher, atual vice-presidente do Uruguai e que também acumula o cargo de presidente do Senado, Lucía Topolansky.

No texto, Mujica afirma que vai abrir mão do salário de senador, pois sua renúncia é "voluntária", e que pretende se contentar com sua aposentadoria, sem acumular benefícios como ex-legislador.

Mujica utilizou ainda a carta para "pedir desculpas muito sinceras" se alguma vez, "no calor dos debates", feriu "pessoalmente algum colega".

Além disso, ressalta que, apesar da renúncia, não pretende deixar de ser ativo politicamente. Segundo Mujica, enquanto sua mente funcionar, não desistirá "da solidariedade e da luta de ideias".

Em 6 de agosto, o ex-presidente havia sinalizado que pensava em deixar seu assento no Parlamento porque queria tirar uma "folga" antes de morrer, dada sua avançada idade.

"Vejo que tenho 83 anos e vou me aproximando da morte. Quero tirar uma licença antes de morrer, simplesmente porque estou velho", disse.

A cadeira de Mujica no Senado será ocupada por Andrés Berterreche, ex-ministro da Pecuária, Agricultura e Pesca entre 2009 a 2010.

Fonte: Carta Capital

vertical (1).png
Publicidade
vertical.png