Moradores de Camamu bloqueiam entrada de Aterro Sanitário


Moradores da Tabela, povoado de Camamu, interditaram nesta quinta-feira, pela segunda noite consecutiva, a estrada de acesso ao aterro que recebe todo o lixo da cidade.

Os moradores reclamam do mau cheiro e dos problemas de saúde que estariam sendo causados pelo lixo na área, e dizem que não suportam mais a situação de descaso com os moradores da região.

A principal reclamação dos manifestantes é com relação ao mau cheiro e problemas de saúde que o aterro sanitário tem causado. Atualmente até o lixo hospitalar está sendo misturado com o lixo doméstico, pondo em risco a saúde de Trabalhadores que dependem do lixo para retirar seu sustento.

O aterro funciona naquele local a mais de 12 anos e nunca esteve nessa situação. “Tempos atrás era local de visitas por colégios e grupos de pessoas que tomavam o local por modelo de reciclagem e destino final dos lixos”, relatou um morador das proximidades do Aterro. “Desde quando foi inaugurado o aterro nunca prejudicou a vizinhança, o mesmo era roteiro de escolas e grupos de pesquisa por ser um "lixão" limpo e funcional”, Finalizou.

A empresa MJWF SERVICOS DE CONSTRUCAO CIVIL EIRELI - ME, foi contratada em julho de 2017, para realizar, entre outros serviços, a coleta do lixo e operação do aterro sanitário de Camamu/Ba, e para isso recebe 352mil reais por mês, conforme contrato de número 32/2017 que foi renovado em 15/01/18, publicado no DOM em 16/01/18.

Entre tanto, o estado atual do aterro sanitário é bem longe do ideal. O lixo coletado não é soterrado há bom tempo e a estrada de acesso foi completamente danificada, como se não bastasse no último sábado, dia 28/07, o lixo foi despejado fora da área do aterro.

Fonte: Camamu Atual

Farmácia Maracás.jpg
Publicidade
ORQ_1001288_Polo_EAD_Maracas_Banner_Blog