Adolescente ícone da resistência palestina deixa a prisão


A jovem foi recebida como uma heroína

A adolescente Ahed Tamimi, de 17 anos, ícone da resistência palestina contra a ocupação israelense, foi libertada na manhã deste domingo 29 depois de passar quase oito meses presa em Israel. A garota foi detida em dezembro de 2017, após enfrentar soldados israelenses no pátio de sua casa, na Cisjordânia.

A mãe de Ahed, também detida ao se envolver no confronto, deixou a prisão Sharon, em Israel, neste domingo. Elas encontraram familiares na cidade de Nabi Saleh, Cisjordânia, onde vivem.

Emocionada, ao chegar ao local, Ahed abraçou integrantes de sua família e foi seguida no caminho até sua casa por uma multidão. "Queremos viver livres", gritavam manifestantes.

A garota agradeceu o apoio e, diante de um mar de câmeras, conversou com jornalistas. "A resistência continua até que a ocupação termine", declarou.

A jovem também encontrou amigos que perderam familiares no confronto com soldados israelenses. Em seguida, se dirigiu à cidade de Ramallah, onde colocou flores no túmulo do ex-presidente palestino Yasser Arafat. Na sede da Autoridade Palestina, foi recebida pelo presidente Mahmoud Abbas.

Ahed Tamimi ficou conhecida mundialmente depois de que um vídeo em que ela e a prima, Nour, enfrentam dois soldados israelenses. As imagens fizeram a volta do planeta e a Ahed, com apenas 16 anos na época, foi presa dias depois. Nour foi libertada em março.

Para os palestinos, a jovem é considerada o símbolo da luta contra a ocupação israelense em territórios palestinos. Para muitos israelenses, a garota foi, no entanto, instrumentalizada por sua família e já havia se envolvido em outros incidentes violentos com soldados.

Fonte: Carta Capital

© 2020 Todos os Direitos Reservados

 Por Josi Machado e Allan Lago