Meninos da Tailândia abraçam o budismo e vão para retiro espiritual


Os meninos de um time de futebol que foram resgatados de uma caverna na Tailândia vão voltar a ficar isolados do planeta.

Abraçados pelo mundo, os meninos agora recebem o carinho da religião mais popular da Tailândia: 94% dos tailandeses são budistas. Os garotos vão se tornar noviços. O técnico, finalmente vai ser monge. É um reencontro dele com a religião. Ekkapol Chantawong tinha deixado o monastério para cuidar da avó, doente.

Na cerimônia desta terça-feira (24), só um menino não participou. Abul é evangélico e agradece ao violão no culto com a família e os amigos.

Os meninos vão se conectando com o que acreditam e se mantêm na deles, discretos. Do isolamento da caverna, vão agora para um retiro espiritual. Nove dias longe do assédio da imprensa e do olhar de curiosos. Uma vida pé no chão, de agradecimento e alguns sacrifícios.

Enquanto isso, no Reino Unido, a primeira-ministra Theresa May recebeu os voluntários britânicos que participaram do resgate na Tailândia. Teve uma cerimônia em homenagem a eles na residência oficial. Os mergulhadores foram as primeiras vozes que os meninos ouviram na caverna.

As palavras em inglês foram um alívio. A líder britânica diz que ficou muito orgulhosa: “Foi um trabalho fantástico. São heróis'”, afirmou.

Na Austrália, voluntários também receberam homenagens.

Em todos os cantos, o mergulhador tailandês que morreu na operação de resgate é sempre lembrado. Os meninos, hoje, falaram com ele; os mais religiosos têm certeza que ele ouviu.

Fonte: Jornal Nacional

vertical (1).png
Publicidade
vertical.png