A Velha Maquiagem da Copa

A cada 4 anos, o Mundo centraliza seu foco para o País Sede da Copa do Mundo de Futebol. Além de estar de olho na sua Seleção, nos melhores jogadores do Planeta, todos querem ver os novos estádios. Esse ano na Copa da Rússia, a Federação Internacional de Futebol (Fifa) implantou um sistema eletrônico de apoio à arbitragem conhecido pela sigla em inglês VAR (Video Assistant Referee). O VAR tem por objetivo ajudar o árbitro central, no campo de jogo, a tomar decisão em lances considerados duvidosos.

O sistema é formado por uma equipe de juízes e ex-juízes de futebol. Eles ficam em uma central de vídeo fora do estádio acompanhando por vários monitores de TV toda partida. A equipe conta também com o auxílio de técnicos em vídeos que escolhem os melhores ângulos do lance duvidoso para o replay da jogada. Em uma das margens do gramado, o juiz principal poderá rever o lance em um monitor de TV e tomar a sua decisão.

Polêmico o sistema, já “ajudou e prejudicou”. Mas enfim, os estádios enchem os olhos de quem assisti, e para locutores. Esses, já iniciam a narração da cobertura de um jogo, falando sobre a beleza do estádio, os bilhões investidos, a venda de todos ingressos.

Mas a realidade fora do Estádio é cruel. Em 2014, criticamos a Copa no Brasil. Vimos inúmeros elefantes brancos espalhados por todo país. Estádios em locais que nem’ se quer, há um time profissional. As obras prometidas como legado do evento, inacabadas, ou nem se quer, saíram do papel.

Pois bem. Na Rússia não estar sendo diferente. Em Rostov-on-Don, onde o Brasil estreiou na Copa do Mundo da Rússia, neste domingo, pelo menos dez quadras em ruínas, com barracos de madeira e muito lixo separam o principal ponto de encontro de torcedores da imponente Arena Rostov, uma estrutura de vidro e metal de 51 metros, o equivalente a 16 andares, construída especialmente para o evento por 19,8 bilhões de rublos, ou R$ 1 bilhão.

Não há rede esgotos. Ratos circulam pelas ruas. O Rússia, de “1º Mundo”, vive um dilema com o alcoolismo. O Russo consome em média, 10 litros de álcool puro por ano. A Cada 10 homens, 3 morrem por causas ligada ao alcoolismo.

Legado, o que é passado às gerações que se seguem. A FIFA, é uma empresa. Para sobreviver, vende seu produto: Futebol. E sabe muito bem ludibriar seus consumidores. A imagem é tudo.

Santo Agostinho, Filósofo, em sua época não existia o VAR, nem tão pouco a TV. Mas profetizou: “Não sacia a fome quem lambe pão pintado”.

O Mundo é maquiado.

vertical (1).png
Publicidade
vertical.png