Lajedo do Tabocal: Irmão e cunhada da prefeita de pedem exoneração dos cargos

A administração pública de Lajedo do Tabocal no estado baiano, já esta no terceiro mês, do segundo ano da gestão da prefeita Mariane Fagundes (PSD) e, de forma descontrolada. “A Menina de Álvaro” assim conhecida por todos na região, principalmente no município que gere, uma grande aposta de seu pai Álvaro Fagundes (In memoriam), ex-prefeito de Lajedo do Tabocal e o maior líder político da história lajedense, não consegue se achar na administração publica. Entre os prefeitos e prefeitas que geriram Lajedo do Tabocal, Mariane é vista até o momento como a pior de sua história. Mariane era apontada como principal nome para administrar o município lajedense, diante do trabalho de sucesso que desempenhou dentro das empresas do pai como administradora, mais na gestão pública está sendo um fiasco. O ano de 2017 foi catastrófico para a administração pública de Lajedo do Tabocal. Sem programação e planejamento como deveriam ser, a gestão Mariane Fagundes começa naufragar, o reflexo atinge a população e o comercio sente o impacto tendo que demitir funcionários, e ficando a beira da falência. O troca, troca, de secretários, assessores, diretores e nomeados em outras pastas, foi o maior registrado até hoje em Lajedo do Tabocal, sem contar as exonerações feitas pela prefeita, e as que foram pedidas pelos próprios comissionados. O que vem chamado à atenção por se tratar de um município que tem uma população pequena estimada em 8.305 (oito mil trezentos e cinco) habitantes, e tudo isto em apenas um ano e dois meses. O numero de secretários que assumiram as secretarias de Infraestrutura e transportes chegaram há cinco “três no transporte e dois na Infraestrutura” o que mostra o descontrole administrativo da prefeita Mariane Fagundes. A pasta de Infraestrutura até o momento está sem comando. Final de 2017, o presidente da Câmara Municipal de Lajedo do Tabocal Joseilson Almeida (PDT), aliado da família Fagundes por vários anos, e importante nome na vitória de Mariane Fagundes nas eleições de 02 de outubro de 2016, não conseguindo mais se sustentar na base aliada da prefeita, diante da gravidade dos problemas no executivo, anunciou recentemente a sua saída do grupo no programa jornalístico Conexão Primeira Edição da Cidade Sol FM, apresentado pelo jornalista Elton Bispo. “2018” começa uma onda descontrolada de pedidos de exonerações por membros da própria equipe de governo de Mariane Fagundes. Alguns vereadores da base aliada da prefeita em seus pronunciamentos no final de ano, na Sessão Solene de encerramento dos trabalhos do legislativo do segundo semestre de 2017, na Câmara Municipal, anunciaram com plena convicção que em 2018, os problemas existentes naquele ano, não iriam acontecer mais. Que em 2018, Mariane traria um novo capitulo em sua administração. Ao contrário do que estes vereadores disseram, e acreditaram, se torna mais grave ainda a situação. Além dos pedidos de exonerações neste inicio de ano, a crise se instala dentro da própria família “Fagundes”, uma cisão sem precedentes em sua história. Mesmo ainda não tendo sido publicado no Diário Oficial, o que se sabe é que o secretário de administração Álvaro Fagundes Junior (Juninho), irmão da prefeita pediu exoneração do cargo dias atrás. O vereador Pedrão (PSB) disse na ultima sessão da Câmara Municipal, dia 26, que a saída de Juninho da pasta só iria afundar ainda mais a administração de Mariane Fagundes por se tratar de um secretário pulso firme e que procurava controlar os gastos da prefeitura. A decisão tomada pelo secretário de administração Álvaro Fagundes Junior em deixar a pasta que assumia, veio depois que a prefeita Mariane Fagundes exonerou do cargo de Controladora Interna a sua cunhada Jacqueline Oliveira Andrade, irmã de sua esposa Jocelene Oliveira Andrade Chefe de Departamento de Serviços de Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS) no dia 15 de fevereiro deste ano. A decisão da prefeita Mariane Fagundes em exonerar Jacqueline Oliveira Andrade causou um mal estar muito grande, fazendo com que em seguida a esposa do secretário de administração Álvaro Fagundes Junior, Jocelene Oliveira Andrade, viesse pedir exoneração do cargo contrariada com a medida tomada pela prefeita. Após Jocelene pedir exoneração do cargo, publicado no Diário Oficial dia 21 de fevereiro, foi à vez do seu esposo, o secretário de administração Álvaro Fagundes Junior. Jacqueline Oliveira Andrade foi nomeada como Controladora Interna, no dia 02 de Janeiro de 2018, sendo exonerada no dia 15 de fevereiro, não chegando ficar nem dois meses no cargo. No inicio do mandato da prefeita Mariane, Jacqueline chegou ser convidada para fazer parte da equipe de governo pela própria prefeita, mais não durou mais do que três dias e foi afastada por pressão política na época. A sua nomeação não chegou nem ser publicada no Diário Oficial na época. Segundo informações, a exoneração de Jacqueline Andrade pode está ligada a fatos gravíssimos que vem ocorrendo dentro da administração, e que ela acabou tendo conhecimento. O chefe de Departamento de Ações Sociais Diovanildo Paiva Sena, também pediu exoneração do cargo, e teve sua publicação no Diário Oficial do dia 06 de fevereiro. O motivo é do pedido é desconhecido.  

Ely Morais

vertical (1).png
Publicidade
vertical.png