Buscar
  • Jornal da Cidade

Secretário de Saúde teme expansão do vírus em Jequié


O Ministério da Saúde admite a falta de testes para confirmação do coronavírus no Brasil, e laboratórios de análise diagnóstica estão racionando os exames. A demora na entrega dos resultados dos testes para novo coronavírus está, segundo secretários municipais de saúde, prejudicando o trabalho de controle do avanço da doença nas cidades do Brasil. O número de casos suspeitos sob análise pelo Lacen Bahia vem se acumulando ao longo dos últimos dias.

O município de Jequié, no sudoeste baiano registrou nesta sexta-feira dia 27 de março, 42 casos notificados, desses 17 já foram descartados e 24 suspeitos seguem em investigação. Um caso foi confirmado positivo para coronavírus, até o momento.

Para o secretário de Saúde, Vitor Lavinsky, a falta de investimento por parte dos governos estadual e federal. “Enquanto gestor de saúde me sinto de mãos atadas, não temos teste disponíveis para toda nossa população. Os testes são enviados pelo Ministério da saúde e não estão mandando para todos, apenas pra casos graves, com isso números estão sendo maquiados”. Lavinsky teme que a falta de consciência, colaboração e estrutura propaguem o vírus, e provoque a morte de aproximadamente 1500 pessoas em Jequié, caso medidas não sejam tomadas.

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, ressaltou que uma vacina para coronavírus ainda deve demorar “pelo menos 18 meses”, apesar dos testes em andamento. O comando da OMS informou que pacientes de Espanha e Noruega estão envolvidos em experimentos.

Informações / Marcos Cangussu

226 visualizações

© 2020 Todos os Direitos Reservados

 Por Josi Machado e Allan Lago