Buscar
  • Jornal Cidade

Número de casos de sarampo no Brasil é o maior em 20 anos


Desde o início deste ano, o Brasil já confirmou 1.053 casos de sarampo, segundo o Ministério da Saúde. Mais de 4 mil casos continuam em investigação.

É o maior número de casos em 20 anos.

O último grande surto no Brasil foi registrado em 1997, quando 53.664 pessoas adoeceram por causa do sarampo. Em 1998 foram confirmados 2.781 casos. Nos anos seguintes, o número de manteve abaixo de mil, com destaque para 1999 que teve 908 casos, e 2014, quando foram registrados 876 casos.

Nesses 20 anos, o Brasil teve períodos sem o vírus. Em 2004 nenhum caso foi registrado. O mesmo aconteceu entre 2007 e 2009. Depois de registrar 214 casos em 2015, em 2016 não houve notificações e o país recebeu o certificado de área livre de sarampo. Mas a boa notícia durou pouco. Depois de passar 2017 sem registros, 2018 começou com os primeiros casos confirmados em Roraima.

De acordo com a infectologista Rosana Richtmann, membro do Comitê de Imunizações da Sociedade Brasileira de Infectologia, os primeiros casos da doença no Brasil são considerados importados, mas, em pouco tempo, a transmissão já passou a ser doméstica, ou autóctone, como é chamado o contágio de pessoa para pessoa dentro da mesma região.

“O vírus voltou ao Brasil com os refugiados que vieram da Venezuela, mas, a partir do momento em que as pessoas passaram a transmitir o vírus de uma para a outra dentro do país, os casos de sarampo deixaram de ser importados e passaram a ser autóctones”.

Entre os casos confirmados este ano, a maioria foi registrado na região Norte: 742 no Amazonas, 280 em Roraima, 2 no Pará e 1 em Rondônia. Mas o vírus já começou a se espalhar pelo país. Outros Estados que confirmaram casos foram o Rio de Janeiro (14), o Rio Grande do Sul (13) e São Paulo (1).

O Estado do Amazonas, líder do ranking, não registrava casos desde o ano 2000. Roraima registrou apenas um caso em 2015, antes disso, tinha registrado 22 casos em 1998.

A infectologista faz um alerta: depois de tanto tempo sem circular, existe o risco de o vírus continuar migrando para outros Estados se a população não responder ao chamado para se vacinar.

“A vacina é a única forma de evitar a doença. O sarampo é uma doença altamente contagiosa, se o vírus chega em uma cidade onde as pessoas não estão vacinadas, a chance de ele se espalhar e contaminar muita gente é grande, por isso as pessoas precisam se vacinar, para evitar que isso aconteça”.

Fonte: R7

2 visualizações

© 2020 Todos os Direitos Reservados

 Por Josi Machado e Allan Lago