Buscar
  • Jornal Cidade

Combate ao abuso sexual e pornografia infantil avança no Brasil



Autoridades brasileiras realizaram em maio a operação Luz na Infância 2, classificada como a maior do mundo concentrada em um único dia para reprimir crimes de abusos sexuais contra crianças e adolescentes. Cerca de 2.600 policiais civis cumpriram 579 mandados de prisão no Distrito Federal e 24 estados, levando à detenção em flagrante de 251 suspeitos. Entre eles alguém relativamente famoso: Marcelo Eiji Harada, o “japonês do Pânico”, que aparecia na televisão aos domingos quando o programa ainda era exibido pela RedeTV!

Encontrado em sua casa na zona sul de São Paulo, Harada tinha pornografia infantil armazenada em um HD (disco rígido) externo, segundo as autoridades --ele negou, dizendo que “foi tudo uma armação sensacionalista”. Se houve surpresa com a detenção de alguém conhecido, sua soltura pode ter causado o mesmo efeito. Isso porque, após prestar depoimento e pagar R$ 1.000 de fiança, Harada foi liberado naquele mesmo dia. Atualmente ele responde ao processo em liberdade.

Com base nessa história, na busca de mais informações para saber qual havia sido o destino dos outros 250 detidos: quantos presos, quantos soltos, quais as acusações? Sem sucesso neste levantamento e após contato com diversas autoridades --policiais civis, federais, representantes da Justiça, ONGs e o próprio ministério responsável pela ação--, ficou evidente que não existe no país um sistema centralizado para registrar, investigar e acompanhar crimes de abuso sexual infantil.

Fonte: UOL


0 visualização